domingo, 2 de março de 2008

Bobbio - O Cidadão Total

A questão da ampliação dos espaços de participação traz um tema muito recorrente a Bobbio – o perigo do excesso de participação e de politização, que pode levar a uma apatia política e ao refúgio do indivíduo na esfera privada:

“O efeito do excesso de politização pode ser a revanche do privado. A participação multidirecional tem o seu reverso da medalha, que é a apatia política”. (pg 69)

O autor chega a considerar a hipótese da democracia direta, através da “computadorcracia”, julgando-a como “absolutamente pueril”. E complementa:

“O excesso de participação, produto do fenômeno que Dahrendorf chamou depreciativamente de cidadão total, pode ter como efeito a saciedade de política e o aumento da apatia eleitoral”. (pg 39)

“A politização integral da própria vida é a via que conduz ao Estado total e àquilo que Dahrendorf chamou de cidadão total, para o qual a polis é tudo e o indivíduo nada”. (pg 88)

A questão colocada aqui é a da politização totalizante, e da opressão da esfera privada pela esfera pública. Mas como fica essa discussão no contexto digital, em que a distinção e a separação entre esfera pública e esfera privada não é mais, em absoluto, tão nítida? Cabe, daí, a questão: no espaço público da rede, é possível ser mais cidadão sem suprimir o individual?

3 comentários:

CRAQUE DA GEMA!!! disse...

Mariana,

Seu TCC já ficou pronto?

Eu gostaria de ler.

Att,

Rodrigo Pian
rodrigopian@gmail.com

natashapergher disse...

Também gostaria de ler o seu TCC. Se puderes me enviar quando estiver pronto, eu agradeço.

natashapergher@hotmail.com

Prof Pe Paulo disse...

Tema interessante, provocante: o excesso de demanda sobre a cidadania e seu "efeito colateral" a apatia. Queria ver esse TCC.